26/05- Brasileiros no Circuito Mundial em 2004

Frank Brown e Luciano Tcacenco participaram das duas primeiras etapas do PWC 2004, na Itália e Áustria. O carioca Rodrigo Monteiro, que ainda não conseguiu uma vaga no PWC, participou do Campeonato Asiático e do Pré-Pwc na República Dominicana. Nos próximos meses acontecem diversas competições internacionais, inclusive o circuito de de Acro, em que o Brasil terá três representantes
A primeira etapa do Paragliding World Cup 2004 aconteceu na Itália entre os dias quatro e doze de Abril. O evento foi programado para ter duas sedes. Os quatro primeiros dias no Monte Avena, na cidade de Feltre e o fim de semana final na cidade de Bassano, no Monte Grappa.
O mau tempo nos primeiros dias de competição forçaram o cancelamento das provas em Feltre e ao invés de conhecerem o vôo da região, os pilotos apreciaram a comida típica italiana nos diversos jantares oferecidos pela organização. Ainda com o tempo ruim em Feltre, a mudança para Bassano aconteceu um dia antes do programado para que se tentasse realizar a primeira prova válida do Circuito Mundial de 2004.
Uma prova de setenta quilômetros foi definida, mas já durante o vôo mais um dia foi cancelado por causa da formação de grandes nuvens de chuva.
A competição em Bassano acontece junto com a Expo Monte Grappa, uma tradicional feira de vôo livre que acontece todos os anos por lá.
Finalmente no último dia da etapa italiana do PWC acontece a primeira prova válida. Um trajeto de sessenta quilômetros com pilões próximos a montanha e gol no pouso oficial da Expo Monte Grappa.
Depois de pouco mais de duas de vôo, o suiço Christian Maurer cruzou a faixa do gol em primeiro lugar. Em segundo chegou seu compatriota e companheiro de equipe, Steve Cox. Em terceiro ficou o inglês Bruce Goldsmith. Frank Brown foi o quarto colocado. Luciano Tcacenco não completou o trajeto e ficou com a 93ª colocação.

CANAZEI com Jimmy Pacher

Ainda na Itália, agora na cidade de Canazei, os brasileiros foram recebidos por um dos mais importantes pilotos no cenário mundial, Jimmy Pacher.
Além de ser bi-campeão do PWC, Jimmy é um dos pilotos de teste da fábrica coreana Gin Paragliders. Ele foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento do mais prestigiado parapente de competição do mundo, o BoomerangIII, e também de algumas inovações, como o novo parapente de montanha, que pesa 4,7Kgs, incluindo a selete.
Depois de aprender muita coisa com Jimmy Pacher, inclusive esquiar, o destino foi Annecy, a capital mundial do parapente.
Ao redor do grande lago, onde acontecem dezenas de cursos de Simulação de Incidentes de Vôo, concentram-se inúmeras escolas, lojas e praticantes do vôo livre. Muitos recordes de triangulação são quebrados nessa região, incluindo o mundial, feito pelo francês Pierre Bouilleoux.
A semana em Annecy serviu para afiar os braços e já treinar para a terceira etapa do PWC, que acontece lá em Junho. Mas o que interessa agora é a segunda etapa.

Abtenau-Áustria

A etapa austríaca do Paragliding World Cup 2004 acontece na pequena cidade de Abtenau, 30 quilômetros ao sul de Salzburg, próximo à fronteira com a Alemanha.
Logo no primeiro dia, a chuva mostrou que esta seria mais uma etapa de espera e provas canceladas.
O segundo dia de competição amanheceu com muito sol e vento. A previsão dizia que a partir da noite o forte vento característico de altas montanhas, chamado de Foehn naquela região, entraria com força. Todos seguiram para a rampa de Trattberg e uma prova de 40,5 quilômetros, com pilões dentro do Vale de Abtenau e gol no pouso oficial da cidade, foi escolhida pela comissão técnica. O vento já dava sinais de força, mas ainda seria possível realizar uma prova segura. Depois de 01h35min, o campeão do PWC2003, o alemão Achim Joos, cruzou a faixa do gol junto com seu compatriota Oliver Rossel. "Nos últimos dez quilômetros eu consegui chegar no Oliver e então falamos para chegarmos juntos ao gol. Estávamos na tirada final e decidimos cruzar a faixa juntos. Perfeito", disse Achim Joos. Frank Brown foi o 15º, chegando pouco mais de dois minutos atrás dos líderes. "Estava bem, mas fiquei baixo no finalzinho, tive que parar pra ganhar altura e o pessoal todo me passou. Se tivesse mais cem metros chegaria junto com eles", disse o brasileiro que com este resultado cai da quarta para a sexta colocação no geral, mas ainda colado nos líderes.
Nos dias seguintes o vento forçou o cancelamento de uma e a chuva de mais duas provas e só na sexta-feira que os pilotos seguiram novamente para o vôo. Desta vez a decolagem é na cidade de Werfen. A rampa fica dentro de uma estação de esqui e a subida é feita nos teleféricos, acionados especialmente para a competição. Como uma boa estação de esqui, não faltava neve. A comissão define uma prova de 37 quilômetros e aguarda as condições do tempo melhorarem. Mesmo ainda nevando na decolagem, a janela é aberta e os pilotos partem para a prova de Elapsed Time, na qual vale o tempo individual de cada pilotos, independente da ordem de chegada. O alemão Norman Lausch é o único a completar todo o trajeto.
Todos fazem a marcação dos vôos, o resultado provisório é publicado, mas um protesto do próprio time alemão pedia o cancelamento da prova. O argumento era de que as condições do dia, apesar de parecerem seguras, não eram condições adequadas para se voar, considerando que nevou durante a maior parte da janela de decolagem. E uma competição como o PWC não poderia validar uma prova voada nessas condições. O protesto foi aceito e a prova cancelada.
Chega o dia final e a neve parece persistir em cair no topo das montanhas. O primeiro briefing é adiado em uma hora para que a organização pudesse analisar melhor as condições do tempo e ver se os pilotos deveriam ir para a decolagem ou não. As 10h30min é decidido que haverá prova e a partir da decolagem de Trattberg. Todos seguem pra lá e mais uma prova dentro do vale de Abtenau é escolhida.Desta vez o trajeto tem 30 quilômetros e o gol novamente é no pouso oficial da cidade. Rapidamente os pilotos partem para a prova e em pouco mais de uma hora o austríaco Christian Tamegger vence e garante o título da etapa. O gaúcho Luciano Tcacenco se destaca e chega apenas um minuto atrás do líder, em 15º. Frank Brown tenta arriscar um vôo muito rápido e não completa o trajeto.
Com esta terceira prova realizada no ano, a classificação geral conta com um descarte, ou seja, a menor pontuação de cada piloto não é considerada. Frank fica com a 11ª colocação, mas apenas 80 pontos, dos dois mil disputados, atrás do líder, o inglês Bruce Goldsmith. Luciano Tcacenco se recupera bem e já ocupa o 66º lugar. A terceira etapa do Paragliding World Cup 2004 acontece entre os dias 20 e 27 de Junho em Annecy, na França. Frank Brown é presença garantida. Luciano Tcacenco, apesar de ter a vaga garantida, não vai. Ele vai priorizar as duas últimas etapas, que acontecem na Turquia, em Setembro, e México, em Novembro.


Autor:  Caio Salles
26/01  Espanhol fatura a Super Final do PWC 2013
13/11  Ajude a divulgação do voo livre
23/10  O recorde mundial por Frank Brown
23/10  Vídeo de apresentação da Amarok Expedition
22/10  Mais um recorde na Amarok Expedition
21/10  Domingo de vento e voo curto no sertão
19/10  Amarok Expedition
20/06  Alex Hofer fora do Red Bull X Alps
06/12  Vôo livre Brasil de volta
23/01  Brasileiro de Parapente 2007 acontece em Sapiranga-RS
Procurar por:
     Para fazer uma busca avançada clique aqui

| |
Home | Loja | Busca | Rádio | Cadastro | Seja Correspondente | Notícias | Reportagens | Fotos | Vídeos | Condições do Tempo | Calendário | Blog do China | Lista BR | PWC-Castelo-ES | | Amigos Voadores | ABP | ABVL | Fábio Fava | Lista Vôo Livre - SC | rrpuertas | Parapente Sul | Ventomania | Fly Limit | Ar livre | Academia de Vôo Livre Atibaia | Brasileiro 2006 | PWC2005 - geral | PWC2005 - França | PWC2005-Sérvia | PWC2005-Itália | English |